Últimas

6/recent/ticker-posts

 Bombeiros disseram que o efetivo é mínimo e precisa atender demandas dentro da cidade. Produtores querem ação do governo do Estado.


Por Portalbrasilweb



Moradores as margens da RO-470, linhas 12, 16, 20 e 24, estão sofrendo com as queimadas nesta época do ano, que já causaram diversos prejuízos. Conforme o 2º Sgt BM Mauro, o 2º Grupamento do Corpo de Bombeiros em Ouro Preto do Oeste, é responsável também por Nova União, Urupá, Mirante da Serra, Teixeirópolis e Vale do Paraíso.

Os moradores já receberam ação dos bombeiros e voluntários, porém, as queimadas não cessam e o fogo avança sobre construções edificadas nas propriedades, provocando muitos danos, especialmente.




Os produtores rurais gravaram vídeos para mostrar a força do fogo, que só poderá ser combatido com equipamentos específicos. O trabalho feito com pulverizadores costais – bombas – não está sendo suficiente.


Vários produtores rurais acumulam prejuízos. Animais mortos, edificações como, currais, cercas, pontes, pinguelas e etc… foram destruídos pelas chamas. Eles reclamam que acionam o Corpo de Bombeiros e até o IBAMA, mas que ninguém aparece para ajudar no combate às chamas, que avançam dia e noite.


O Jaru Online conversou com 2º Sgt BM Mauro neste sábado, 12 de setembro. O militar explicou a atual situação em que os Bombeiros do Grupamento em Ouro Preto, estão trabalhando.


De acordo com ele, o efetivo da guarnição do dia, é composto por quatro militares para atender variados tipos de demandas diárias, quer seja acidentes, atendimento a pacientes com problemas clínicos, ex: infarto, avc, resgastes, capturas de animais, incêndio em residências ou em vegetação na área urbana e etc…


Conforme o militar, o 2ºGBM não tem capacidade de atender todas as demandas de incêndio em vegetação, tendo em vista que o 2ºGB de Ouro Preto é responsável ao menos cinco municípios circunvizinhos.


Sargento Mauro disse que para o combate a incêndio em vegetação seria necessário um efetivo muito maior do existente. Ele também disse que quando a solicitação informa que há riscos as estruturas residenciais, por exemplo, a guarnição se desloca para atender, mesmo que a distância seja grande, lembrando atendimento feito no último dia 04 de setembro, na Linha a 16 da Rodovia que liga aos municípios de Urupá e Teixeirópolis.


Denúncias junto ao Ibama também foram protocoladas pelos moradores, mas até o momento não obtiveram nenhum tipo de resposta ou ação. Inúmeros animais silvestres estão morrendo queimados.

Postar um comentário

0 Comentários