Últimas

6/recent/ticker-posts

Centenas de mulheres desaparecem durante a pandemia no Peru

Mais de 900 mulheres e meninas desapareceram no Peru durante o isolamento social para evitar a disseminação do novo coronavírus. A informação é do Ombudsman Nacional, que pediu a criação de um registro nacional de pessoas desaparecidas para tratar do número "alarmante" de desaparecimentos.

Os registros devem ser mantidos para rastrear aquelas que desaparecem, sejam encontrados vivas ou mortas e vítimas de tráfico sexual, violência doméstica ou feminicídio, disse Isabel Ortiz, uma comissária de direitos das mulheres no escritório do Ombudsman Nacional, um órgão independente que monitora os direitos humanos do Peru.

No total, 915 pessoas, sendo 606 meninas e 309 mulheres, desapareceram desde o início do toque de recolher de 16 de março a 30 de junho, disse Ortiz.

"Os números são realmente bastante alarmantes", disse Ortiz à agência Reuters em uma entrevista por telefone. "Conhecemos o número de mulheres e meninas que desapareceram, mas não temos informações detalhadas sobre quantas foram encontradas. Não temos registros adequados e atualizados."

Sem o tipo de dados que um registro nacional de pessoas desaparecidas poderia coletar, muitas vezes permanece desconhecido o que aconteceu com os que foram desaparecidos e se foram encontrados mortos ou vivos, disse ela.

Alguns podem ser vítimas de crimes violentos como violência doméstica ou feminicídio. "Em alguns casos, é o autor do crime que denunciou uma mulher como desaparecida", disse ela.

Ações do estado

Um registro nacional de pessoas desaparecidas permitiria o cruzamento de informações com outros crimes contra mulheres para ajudar a encontrar pessoas desaparecidas e identificar possíveis suspeitos, disse ela.

"Precisamos ter um registro adequado que nos permita vincular o desaparecimento de mulheres a outros crimes, como tráfico de seres humanos e violência sexual", disse Ortiz.

Na semana passada, o ministério das Mulheres do Peru disse que 1.200 mulheres e meninas haviam desaparecido durante a pandemia — um número mais alto porque incluiu o mês de julho.

O ministério das Mulheres disse que o governo está trabalhando para erradicar a violência contra as mulheres e aumentou o financiamento este ano para programas de prevenção à violência baseados em gênero.

Violência de gênero

Países em todo o mundo relataram aumento da violência doméstica devido a bloqueios por coronavírus, levando as Nações Unidas a pedirem ações urgentes do governo.

A América Latina e o Caribe são conhecidos por altos índices de feminicídio e violência contra as mulheres, impulsionados por uma cultura machista e normas sociais que ditam o papel das mulheres, disse Ortiz.

"A violência contra as mulheres existe por causa dos muitos padrões patriarcais que existem em nossa sociedade", disse ela.

"Existem muitos estereótipos sobre o papel das mulheres que definem como deve ser seu comportamento e, quando não são respeitadas, a violência é usada contra as mulheres", disse ela.

Antes da pandemia, centenas de milhares de mulheres em toda a América Latina, incluindo o Peru, estavam realizando manifestações de rua em massa, exigindo ações do governo contra a violência de gênero.

Postar um comentário

0 Comentários